12 de abr de 2011

Experiências com biodigestor na Toca da Coruja

O tema de energia na permacultura é um dos mais importantes.  Na Toca da Coruja,  há alguns anos já estamos usando energia solar fotovolcaica para iluminação interna da casa e uso nas tomadas,  energia solar térmica para aquecimento da água do chuveiro (com aquecedor solar de baixo custo - vide www.sociedadedosol.org.br), o calor do sol para cozinhar em um forno solar e para desidratar alimentos.

Nossa mais nova aventura experimental é o consumo de gás produzido por um BIODIGESTOR.  O primeiro biodigestor que construímos foi em novembro de 2010 com o uso de uma caixa d´água de 350 litros, canos de PVC e plástico de esfufa.


Decidimos fazer um biodigestor conhecido como " biodigestor em batelada". Nos biodigestores em batelada a matéria orgânica é inserida toda de uma só vez e então ele é fechado de forma a não permitir a entrada de ar até que ocorra o processo de digestão anaeróbia. O biodigestor é aberto novamente só quando a produção de biogás cair, indicando que a matéria orgânica já foi decomposta e que pode ser feita a retirada da matéria restante e inserida nova carga.

Utilizamos, para a primeira batelada, capim  roçado.  Foi necessário cerca de um mês para a primeira leva de produção de metano.  Fizemos nossos primeiros testes e um litro de água ferveu em cerca de 10 minutos em ambiente aberto, com queimador improvisado.  Maravilha! Funcionou! Comemoramos com um chá de capim santo preparado com o biogás.

Agora estamos na segunda fase do experimento.  Para esta batelada,  usamos folhas e talos de margaridão ou flor do mel para recarregar o biodigestor.  Nos primeiros dois dias, a produção de gás carbônico foi imensa.  Liberamos para dar lugar ao metano.

Em breve, teremos novidades dessa experiência. 

Abraços,

Andrea e Fabio
www.sustentavelnapratica.net

Fotos que ilustram o processo de alimentação do biodigestor:

Alimentação do biodigestor com folhas e galhos de margaridão.

Colocou-se água no recipiente, o plástico e as garrafas com areia para servir de peso e não deixar o biogás escapar.
Biodigestor em funcionamento.

29 de dez de 2010

Cursos movimentam a permacultura no Lago Oeste

Em novembro, o IPOEMA, as chácaras Semente (rua 20) e Toca da Coruja (rua 00) realizaram dois cursos sobre permacultura.

Na Toca da Coruja, foram realizadas aulas de energias renováveis, de permacultura urbana e ecovilas que fazem parte do PDC - Curso de Design em Permacultura. Durante um dia, os participantes conheceram e vivenciaram práticas e técnicas adotadas na chácara.

A foto abaixo mostra o secador solar de frutas construído a partir de materiais reaproveitados.


Nesta imagem, os participantes observam o sistema de energia fotovoltaica da casa que está na mesma estrutura que sustenta um painel de aquecimento solar de água do chuveiro e os boilers.

Os participantes se envolveram bastante na aula prática de canteiros para pequenos ambientes da zona 1 da casa da chácara.



Na chácara Semente, foi realizado o curso avançado de Agrofloresta com Ernest Goetsh. O curso reuniu pessoas que já tinham conhecimento com agrofloresta para aprimorarem conhecimentos, técnicas e especialmente a sabedoria que o Ernest compartilhou conosco.

Na foto, Juã e Ernest analisando um SAF plantado no ano passado.









6 de nov de 2010

Jardins produtivos - Zona 1

Um dia desses fizemos um café da manhã na chácara de um amigo aqui no Lago Oeste. Perguntei se ele tinha um canteiro de ervas e temperos e ele respondeu afirmativamente. Caminhamos cerca de cinquenta metros até os canteiros que certamente não são colhidos em um dia de chuva ou à noite quando alguém está cozinhando na casa e pensa como seria delicioso colocar um manjericão fresquinho em um crepe com tomates. Situações como a da chácara do meu amigo são muito comuns. Ou seja, os canteiros de temperos e a horta são distantes e desvinculados da casa e do jardim.

Na permacultura, buscamos justamente integrar a produção na jardinagem e construir jardins produtivos, para que seja um prazer colher temperos e ervas no exato momento em que precisamos colocá-los em nossos alimentos. A área de plantio dessas ervas, temperos e hortaliças é conhecida como Zona 1. A idéia chave de uma Zona 1 é termos sempre à mão aquilo que queremos comer fresquinho, recém colhido. Com canteiros criativos, podemos integrar produção e beleza.

Na minha casa, na Toca da Coruja, faço experiências não só para meu consumo, mas também para testar canteiros para produção em pequena escala. A seguir apresentarei os canteiros da Zona 1 da nossa casa:

Canteiro “Ameba”:

Este canteiro foi carinhosamente apelidado por meu marido de “ameba”. É um canteiro rico em bordas para aproveitar o máximo possível do espaço e criar curvas no jardim. Fiz as bordas do canteiro com garrafas pet (cheias de água) para melhor demarcá-lo e desencorajar os cachorros a andarem por cima dele. Funcionou muito bem.



Canteiros retangulares com pet:

Aproveitando a versatilidade das garrafas pet (lixo para muitos e um valioso recurso para nós), fiz dois canteiros em formato retangular para cultivo de temperos pertinho da saída da porta da minha varanda. Em uma área de 1,6m2, plantei: louro, alfazema, orégano, cebolinha, salsa, capuchinha, alecrim, “vick” e margarida lilás.



Espiral de Ervas:

A espiral de ervas é um canteiro, como o nome já diz, feito em formato espiralado. Tem diâmetro de cerca de 1,5 m e pode ser construído em área impermeabilizada. Na espiral de nosso jardim, plantamos camomila, hortelã de folha larga, manjericão e rúcula. Para saber como fazer este canteiro baixe o passo a passo no site: www.sustentavelnapratica.net/fvm.htm



Canteiro de metro quadrado:

É um canteiro preparado com tábuas que ocupa uma área de 1m2. É super prático e simples de se cultivar nele. Utilizei tábuas velhas e aproveitei para pintar e exercitar meus dons artísticos. Estou cultivando neste canteiro: pimenta de cheiro, alecrim, capim santo, manjericão, pimentão, alcachofra, rúcula e sálvia.





Canteiro com garrafas de vidro:

Fiz este canteiro no entorno de uma palmeira de pupunha que tenho no jardim. Fiz em formato circular e delimitei com garrafas de vinho. Juntar as garrafas de vinho foi ótimo porque os amigos adoraram fazer encontros na Toca para ajudar com a matéria prima do canteiro. Neste plantei: poejo, pimenta biquinho, abobrinha, manjerona, flores e espinafre.






Canteiro com composteira:

Também conhecido com “keyhole garden” ou canteiro com buraco de fechadura, tem formato circular e possui um recipiente para compostagem em seu centro. Pode ser construído sob superfícies impermeabilizadas, pois não necessita afofar a terra. Possibilita a compostagem dos resíduos orgânicos no próprio canteiro. É um canteiro elevado, facilitando a colheita de verduras e legumes. A construção do canteiro pode ser um ótimo momento para reunir amigos e crianças e passar um bom dia juntos. Foi assim que construímos o nosso canteiro. Com ajuda de adultos e crianças, brincando e criando, levamos cerca de 4 horas na construção. Já colhemos rabanete, rúcula, couve, espinafre, beterraba brócolis, cenoura, cebola, tomate, couve-flor, salsa, cebolinha e outros. O passo a passo para fazer este canteiro também pode ser acessado pelo site: www.sustentavelnapratica.net/fvm.htm

Além desse jardim localizado a cerca de dois ou três metros da nossa casa, também faz parte da nossa Zona 1 uma horta mandala com 16 canteiros e mais vinte canteiros de 6m de comprimento. Nesse espaço cultivamos as mais diversas hortaliças orgânicas para toda nossa família.

Para nós, cuidar da zona 1 é cuidar da nossa saúde e bem estar. Hoje ela nos oferece 100% de nossa demanda familiar de legumes e verduras.

4 de nov de 2010

Curso Avançado de Agrofloresta no Lago Oeste

O Curso Avançado de Sistemas Agroflorestais com Ernst Götsch ocorrerá no Sítio Semente, na rua 20 do Lago Oeste, Estação Permacultural do Ipoema, entre os dias 9 a 12 de novembro de 2010, totalizando 32 horas de curso.

Para se inscrever neste curso você deve estar de acordo com os pré-requisitos:

· Já ter participado de um curso de Sistemas Agroflorestais (SAFs) e/ou;

· Já trabalha com SAFs.


Para se inscrever, entre no site www.ipoema.org.brEste endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .

Investimento: R$ 550,00 (em até 2X)
À vista: R$ 500,00
Descontos para ex alunos do Ipoema: R$ 500,00 (em até 2X).

Maiores informações:

cursos@ipoema.org.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
61-99777906
61-99750658

22 de out de 2010

SEMENTES NA ASPROESTE

Compartilhadores(as),

Recebi o seguinte e-mail do nosso amigo agrofloresteiro Djalma. Na sua chácara, na rua 19 creio eu, também montou um piloto de agrofloresta. Como ele está em viagem de serviço até dezembro retransmito sua mensagem:

"Pedi também à Regina (eu estava em Santiago do Chile em meados de setembro) para que o Evangelista e o Natal pegassem algumas sementes nas árvores da cidade, o que foi feito. Acredito que quem necessitar de mudas de nativas a Asproeste terá condições de fornecer. Abs, Djalma".

Nessas primeiras chuvas, para quem deseja começar uma agrofloresta ou simplemente contribuir com para um ar mais puro na comunidade, valeria a pena dar um pulo na Asproeste para conferir. Basta procurar o Natal ou o Evangelista no viveiro que eles mantém por lá. Há 15 dias comprei, por preço bem barato, 40 mudas de mangabeiras, uma deliciosa fruta de cerrado e Mata Atlântica.

Saudações verdes, Marcos.

19 de out de 2010

TOCA DA CORUJA - Como começamos

A permacultura nos ensina a sermos responsáveis por nossa própria existência. Desde que chegamos ao Lago Oeste, em 2002, estamos caminhando passo a passo para sermos parte da solução e não do problema. Quando chegamos, a chácara era um campo de 2 hectares de capim braquiária. Uma terra que passou por sucessivos monocultivos e depois se tornou um pasto degradado.

Inspirados pelas palavras de Bill Mollisson, David Holmgren e Ernest Gotsh, que nos ensinaram como a ocupação humana pode ter impactos positivos e aumentar a quantidade de vida consolidada em um espaço, começamos nosso desafio. Dia a dia, observando os padrões e trabalhando a favor da natureza, estamos consolidando uma ocupação produtiva e sustentável.

Nossas práticas hoje incluem plantio agroecológico de horta, grãos e agrofloresta; captação de água da chuva; psicultura em tanques de ferrocimento com água da chuva; energia solar; criação de animais; compostagem; ecofossa e outros.


Vamos aproveitar esse espaço para compartilhar as experiências da Toca da Coruja localizada na entrada B da rua 00.


Abraços,


Andrea, Fabio e Jorg

17 de out de 2010

CHÁCARA GIRA-SSÓIS

Perdão compartilhadores e compartilhadoras mas esqueci um detalhe no meu post sobre a Chácara Girassóis: o endereço. Eu e a Ana - minha esposa - moramos na terceira travessa entre a rua 12 e 13. Saudações verdes, Marcos.